Efeitos da covid-19 na gravidez mudam segundo o trimestre gestacional da infecção?

Efeitos da covid-19 na gravidez mudam segundo o trimestre gestacional da infecção?

Após quase três anos do início da pandemia causada pela covid-19 estamos conseguindo saber os efeitos da doença nas gestantes e nos fetos. Durante esses anos muitas pesquisas foram feitas em caráter de urgência, mas agora conseguimos avaliar a real situação através de estudos robustos e confiáveis.  

Leia também: Uso do ultrassom transperineal intraparto para prever complicações ou falhas

médica conversando com mulher sobre vacinação covid-19 em gestantes

Novo estudo 

Em dezembro de 2022, foi publicado um artigo com o objetivo de avaliar os efeitos da doença de covid-19 e do trimestre em que a doença é diagnosticada nos resultados obstétricos e neonatais. Artigo de grande importância para todos da área da saúde que prestam assistência à gestante e ao recém-nascido.  

Métodos 

Esse artigo foi publicado no Journal of Obstetrics and Gynaecology Research, sendo um estudo de coorte retrospectivo, realizado com 358 pacientes que foram ou não diagnosticadas com covid-19 durante a gravidez, tiveram aborto espontâneo ou deram à luz. 

Resultados 

De acordo com os pesquisadores, a doença de covid-19 durante a gravidez foi associada a uma maior doença hipertensiva materna, parto prematuro, baixo peso ao nascer, baixos índices de Apgar no primeiro e quinto minuto e necessidade de unidade de terapia intensiva neonatal.

A incidência de parto prematuro, baixo peso ao nascer, baixos índices de Apgar no primeiro e quinto minuto e necessidade de unidade de terapia intensiva neonatal naqueles diagnosticados com covid-19 no segundo trimestre foi significativamente maior do que naqueles diagnosticados com covid-19 em outros trimestres.

Já a frequência de cesariana foi maior naquelas gestantes diagnosticadas com covid-19 no terceiro trimestre. 

Conclusão 

A partir deste estudo, os autores concluíram que a presença de covid-19 durante a gravidez pode estar associada a um risco aumentado de parto prematuro iatrogênico.  

Mensagem prática 

Contudo, acredito que isso possa mudar nos próximos anos, conforme a segurança no tratamento da gestante com covid-19 aumente entre os obstetras, por termos mais estudos confiáveis sobre esse tema e mais experiência no tratamento dessas pacientes.


Veja mais beneficios de ser usuário do Portal PEBMED:


Veja mais beneficios de ser usuário
do Portal PEBMED:


7 dias grátis com o Whitebook

Aplicativo feito para você, médico, desenhado para trazer segurança e objetividade à sua decisão clínica.


Acesso gratuito ao Nursebook

Acesse informações fundamentais para o seu dia a dia como anamnese, semiologia.


Acesso gratuito Fórum

Espaço destinado à troca de experiências e comentários construtivos a respeito de temas relacionados à Medicina e à Saúde.


Acesso ilimitado

Tenha acesso a noticias, estudos, atualizacoes e mais conteúdos escritos
e revisados por especialistas


Teste seus conhecimentos

Responda nossos quizes e estude de forma simples e divertida


Conteúdos personalizados

Receba por email estudos, atualizações, novas condutas e outros conteúdos segmentados
por especialidades

Selecione o motivo:

Errado

Incompleto

Desatualizado

Confuso

Outros

Sucesso!

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Avaliar artigo

Dê sua nota para esse conteúdo.

Você avaliou esse artigo

Sua avaliação foi registrada com sucesso.

Autor

Graduação em Medicina pela Universidade José do Rosário Vellano ⦁ Residência em Ginecologia e Obstetrícia pelo Hospital Regional de Presidente Prudente ⦁ Especialização em Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva pelo Hospital Sírio-Libanês ⦁ Especialização em Ultrassonografia em Ginecologia e Obstetrícia pela Faculdade de Tecnologia em Saúde ⦁ Especialização em andamento em Medicina fetal pela Fetus

Referências bibliográficas:
Ícone de seta para baixo

  • Sertel, E. and Demir, M. (2022), Evaluation of the effects of COVID-19 disease and the trimester in which the disease is diagnosed on obstetric and neonatal outcomes: A retrospective cohort study. J. Obstet. Gynaecol. Res.. https://doi.org/10.1111/jog.15510


Read More

Post a Comment

Previous Post Next Post